24 de janeiro de 2011. Exatamente neste dia, dez anos atrás, Adele lançava o icônico “21”, seu segundo álbum de estúdio e um dos álbuns mais vendidos, marcantes e premiados da história da música. Aos 22 anos, a cantora britânica se tornaria um ponto fora da curva e uma estrela em seus próprios termos. Mas, por pouco, tudo não foi bem diferente…

Com seus trabalhos iniciados em 2009, pouco tempo após o lançamento de seu debut álbum “19”, que obteve um sucesso mediano, Adele, que costumava a ligar muito para a crítica dos outros, queria deixar ‘a alma de velha’ que criticavam para trás e fazer um álbum mais animado e contemporâneo, porém, as sessões de estúdio foram interrompidas após a falta de inspiração e o resultado alcançado não agradarem a cantora. Das canções produzidas durante o processo deste “primeiro 21”, apenas “Take It All” foi incluída na versão finalizada do álbum, que foi uma música que ela escreveu em uma das crises de seu relacionamento e que foi usada para colocar um ponto final na mesma.

Após terminar o relacionamento em que estava vivendo naquele momento – no qual anos depois ela assumiu que era uma relação destrutiva – os trabalhos do álbum foram retomados um dia após o término e toda a dor e depressão sentidas no término, foram canalizadas em suas canções, onde cada uma retrata um erro do relacionamento deles. Com uma sonoridade pop, R&B e soul, o “21” teve suas gravações realizadas entre abril de 2009 e outubro de 2010, sob a produção da própria cantora juntamente a Jim Abbiss, Paul Epworth, Rick Rubin, Fraser T. Smith, Ryan Tedder e Dan Wilson.

O primeiro sinal do sucesso que estava por vir, “Rolling In The Deep” foi lançada como o primeiro single de trabalho do álbum, em 29 de novembro de 2010. Em uma época onde o eletrônico era o gênero em alta na música pop, a canção se tornou um ponto fora da curva e foi o responsável por aumentar ainda mais a popularidade que Adele havia conseguido em seu álbum de estreia. Primeiro lugar em 11 países, incluindo o primeiro número #1 da cantora na Billboard Hot 100, onde passou 7 semanas no topo, a canção vendeu mais de 8,7 milhões de cópias apenas Estados Unidos, tornando-se a canção digital mais vendida por um artista solo no país, a segunda música digital mais vendida no mercado norte-americano e o single mais vendido de Adele fora de seu país natal, superando seu anterior best-seller, “Chasing Pavements”. Atualmente, a música já ultrapassou a mais de 40 milhões de unidades vendidas mundialmente.

Dois meses depois, Adele lançava sua segunda música de trabalho e firmava de vez o seu nome na indústria. Em 24 de janeiro de 2011, a cantora laçou “Someone Like You” como segundo single. Abraçada pela crítica como uma das melhores músicas do álbum, a canção se tornou número #1 no Reino Unido, onde passou 18 semanas em primeiro lugar, se tornando a primeira vez que Adele atingia o topo dos singles mais vendidos em seu país de origem. Além disso, a cantora também atingiu o topo da Billboard Hot 100. A canção vendeu mais de 39 milhões de unidades mundialmente e se tornou um clássico.

No mesmo dia do lançamento de “Someone Like You”, o álbum “21” era lançado e a história havia sido feita. Com sua capa revelada dois meses antes, em novembro, traz a cantora pensativa em uma foto em preto e branco com seu nome e o número “21”, que representa a sua idade no momento de sua vida em que aquele álbum representa. O álbum estreio em #1 lugar no Reino Unido vendendo 208 mil cópias na primeira semana e ficou no topo da parada por 23 semanas, sendo 11 delas, consecutivas. Já nos Estados Unidos, o álbum estreou em sua primeira semana também no primeiro lugar, com 352 mil cópias vendidas e em janeiro de 2012, se tornou o disco digital mais comercializado de todos os tempos em território americano, vendendo mais de seis milhões de cópias até janeiro daquele ano.

Mundialmente, o “21” foi o álbum mais vendido da década passada de acordo com a International Federation of the Phonographic Industry (IFPI), empresa que monitora o mercado fonográfico mundialmente, vendendo mais de 30 milhões de cópias puras. Em julho de 2012, o álbum ultrapassou 10 milhões de cópias vendidas apenas na Europa, se tornando o primeiro álbum a atingir a marca desde 1996, quando a IFPI começou a monitorar as vendas na região. Além do sucesso comercial, o álbum também foi aclamado e venceu praticamente todas as premiações possíveis, incluindo sete prêmios Grammy no qual concorreu, sendo seis e uma só noite, incluindo os prêmios de Album Do Ano, Gravação do Ano e Canção do Ano, consideradas três das quatro principais categorias da premiação (juntamente com a categoria de Melhor Novo Artista, que Adele havia vencido dois anos antes).

Após o lançamento do álbum, em 4 de julho de 2011, “Set Fire To The Rain” se tornou o terceiro single de trabalho. Sem um clipe oficial, apenas uma performance retirada de uma performance ao vivo, o single atingiu o topo da Billboard Hot 100, nos Estados Unidos e em mais oito países, além de Top 10 em outros onze países. A canção também recebeu um prêmio Grammy, na categoria Best Pop Solo Performance, por sua versão ao vivo.

Depois, o álbum ainda teve “Rumour Has It” e “Turning Tables” lançados simultaneamente como quarto e quinto singles do álbum, no dia 5 de novembro de 2011. Sem videoclipes oficial e com sucesso moderado, as músicas também se tornaram clássicos de Adele.

Além do sucesso do álbum, Adele também se tornou um fenômeno na venda de vinys e DVDs, se tornando responsável por ajudar a ressuscitar as vendas puras, que estavam em queda na década de 2010. Em setembro de 2011, a cantora lançava o “Live at The Royal Albert Hall”, primeiro álbum e DVD ao vivo, derivado das canções do álbum “21”. O álbum debutou na primeira posição da Billboard Top Music Videos com 96 mil cópias vendidas, o maior registro de uma semana para um dvd de música em quatro anos. Após uma semana, Live at the Royal Albert Hall tornou-se o DVD de música mais vendido de 2011, fazendo com que a britânica fosse a primeira artista na história da Nielsen SoundScan a ter o álbum de estúdio e o álbum de vídeo mais vendido em um mesmo ano. A versão ao vivo de “Set Fire to the Rain”, tirada do show, ganhou o Grammy de Melhor Performance Pop Solo no 55º Grammy Awards. Em 28 de novembro de 2012, a Sony fez um comunicado anunciando que o DVD havia passado de 1 milhão de cópias vendidas nos Estados Unidos e cerca de 3 milhões em todo mundo. A última vez que um DVD havia vendido mais de 1 milhão de cópias naquele país foi em 2005. No Brasil, o DVD também obteve um sucesso estrondoso, se tornando em 2012 o DVD mais vendido no país, entre artistas nacionais e internacionais, com 464.065 cópias comercializadas.

Com 43 milhões de cópias comercializadas mundialmente, 8 bilhões de streams, mais de 100 prêmios vencidos, 138 milhões de singles vendidos e 3 milhões de DVDs, o “21” é considerado um dos maiores álbuns de todos os tempos e o álbum mais bem sucedido comercialmente e criticamente da última década, além de ter fixado Adele como uma das realezas do pop.


continue lendo