Na última quarta-feira, (23), Adele esteve na festa de aniversário do Rapper Drake, porém o que todos ficaram surpreso foi o quanto a cantora estava mais magra.

O novo visual da britânica gerou muito alvoroço na mídia e pessoas chegaram a parabeniza-la pelo seu “corpo de vingança“. Com todos os comentários que andam fazendo, o tabloide britânico, Independent UK, publicou um artigo falando que não é um elogio celebrar a perca de peso de Adele. Confira abaixo a tradução do artigo!

Celebrar a perda de peso de Adele não é um elogio – é gordofobia
Adele poderia ser feliz, saudável e intencionalmente estar tentando perder peso. Mas por que continuamos a comentar o corpo das pessoas sem conhecer o contexto? Como podemos ter certeza de que um ‘elogio’ não está alimentando ou validando uma potencial crise?
Nesta semana, surgiram fotos da Adele com uma aparência mais elegante, quando a cantora chegou à festa de aniversário da estrela do rap Drake. Instantaneamente, as pessoas estavam twittando e compartilhando as fotos, parabenizando-a pelo seu “corpo de vingança” – uma referência ao seu divórcio em curso com Simon Konecki.
No meu feed de mídia social, parecia que todos estavam compartilhando manchetes que discutiam seu “novo visual sensacional”, postando suas fotos “antes e depois”. A reação retumbante foi: “Ela está tão bem agora!”
Para mim, isso estava longe de ser inesperado. Apenas confirmou que vivemos em uma sociedade que idealiza a magreza e celebra a perda de peso como inerentemente positiva. A premissa subjacente por trás da reação às fotos de Adele era a suposição de que seu corpo “velho” estava “errado” e que ela fez uma escolha deliberada e “saudável”.
Na realidade, essa reação é apenas uma série de elogios. Dizer que ela está bem agora, é apenas uma forma mais sutil de envergonhar o corpo que se disfarça de elogio. Ao glamourizar esse terrível conceito de “corpo de vingança”, estamos dizendo que fitness e comer bem são ferramentas a serem armadas contra um relacionamento anterior, em oposição a uma escolha positiva que todos devemos estar fazendo. centraliza nosso valor em nossa aparência física e a idéia de que corpos maiores não são dignos de um relacionamento satisfatório.
Na pior das hipóteses, a fixação no pós-separação de Adele “brilhar” revela nossa fatfobia social profundamente enraizada, na qual a magreza é avaliada a qualquer custo prejudicial e igualada à atratividade.
Chegamos a um estágio em que conhecemos bem as implicações para a saúde da obesidade, o que pode ser positivo. Afinal, é importante que todos tomemos medidas para comer bem e nos exercitar para o nosso bem-estar físico e mental. No entanto, por que raramente reconhecemos que a perda de peso, especialmente em ritmo acelerado, pode ser motivo de preocupação?
A rápida perda de peso pode ser o resultado não intencional de uma condição mental ou física. É do conhecimento geral que Adele está em processo de divórcio – uma experiência profundamente traumática e estressante para qualquer pessoa, muito menos para alguém que está ao público. No entanto, quando essas fotos foram divulgadas, havia uma clara falta de preocupação com o bem-estar dela. Estudos demonstraram que o estresse pode causar uma série de problemas de digestão, incluindo perda de apetite. Enquanto muitos de nós respondem aos desafios de saúde mental comendo alimentos com conforto, algumas pessoas lutam contra a alimentação desordenada como resposta à depressão ou ansiedade.
A saúde física e mental de Adele é, problema seu,naturalmente, Ela poderia estar feliz, saudável e intencionalmente tentando perder peso. Se for esse o caso, desejo-lhe todo o sucesso. Mas por que continuamos a comentar o corpo das pessoas sem conhecer o contexto? Como podemos ter certeza de que um ‘elogio’ não está alimentando ou validando uma potencial crise?
É uma verdade desconfortável que, embora embalados como suporte para a saúde da pessoa, em geral esses “elogios” falam do fato de que nossa celebração da perda de peso nem sempre é sobre bem-estar. A sociedade apenas se preocupa com a sua aparência, não importa quão objetivamente prejudicial a jornada foi para chegar lá.
Adele sempre foi e sempre será linda. Ela é mais do que uma foto antes e depois, é um imenso talento e um tesouro nacional – este, não o corpo dela, deve ser o foco.

Tradução e adptação Adele Online

Confira o artigo no Independent UK clicando aqui.


continue lendo